Entrevista com o grande rapper angolano MCK



Katrogi ou mais conhecido como MCK, pra min é o melhor rapper angolano, Não só por que um rapper que se preocupa com o povo, com o social, e com a situação politica de um pais, mas também pelo modo que ele te faz pensar com suas letras, eu mesmo sendo brasileiro, ja tirei muitas lições de suas musicas.. afinal a musica é universal.

Nesta Entrevista o MCK fala como decidiu cantar rap, sobre sua inspiração para escrever, sua vinda ao brasil em 2007, Sobre sua marca de Camisinha, sobre seu Álbum Proibido Ouvir Isto e Muito Mais.. Confira!


Como você Define o MCK ..?

R: Músico e Activista Cívico.

Como você conheceu o rap..? e quando soube que queria cantar ..?

R: Tomei o primeiro contacto por intermédio do Break Dance, finais da década 80, a seguir surgiu a paixão pelas Roupas, CDS e K7 de vídeos que recebia de alguns amigos e primos que viviam na Alemanha( 1992/93), a cada dia aprofundava mais a minha relação de intimidade com movimento e fui construindo laços de cumplicidade com o Rap... Acabei fazendo um pouco de cada elemento da cultura... Entre as várias experiências, marcou- me o personagem de Zungueiro ou Camelô ai no Brasil, chamando a atenção de transeuntes na Rua através de Free Styles, com frases humoristicamente rimadas que anunciavam o nome e a qualidade dos produtos á venda na mochila. Fui DJ e Seleccionador Musical de Rádios e Discotecas durante alguns anos ( risos)... Somente em 1995 decide dar vida, corpo e sustento a tentativa de uma "carreira" como MC.

Voce é um rapper bem Ideológico, suas Letras tem mensagens Fortes e Revolucionarias.. de onde vem toda esta Inspiração ..?

R: Tenho como fonte inspiracional toda produção circundante neste meio onde me encontro inserido chamado mundo, desde as imaginações mais abstractas até as realidades mais macabras. A vida é a minha fonte de inspiração, minha arte traduz o doce e o salgado que o dia á dia produz, claro está, com algum rigor crítico e com excessiva coerência na abordagem de cada tema que me proponho desenvolver. Partilhar pensamentos, estimular debates e instigar a imaginação criativa, são alguns dos vários objectivos da minha arte.

Se não Estou Enganado no em 2006, você veio ao Brasil fez um Show no Premio Hutuz. Como Surgiu este Convite..? e como foi esta Experiencia..?

R: Penso que foi em 2007, estive no ano anterior a expor o meu trabalho Cívico e Artístico a convite da ONG norte americana " Open Society", tive encontros com Activistas Cívicos, Audiência com Ministro da Cultura, apresentações em S Paulo, Rio de Janeiro e Brasília... O Convite da Cufa, surge como consequência desta exposição reproduzida pela Imprensa brasileira. Participar do Festival foi uma experiência muito rica e única, pois, tive a impar importunidade de tomar contacto e trocar experiências pela primeira vez com figuras monstruosas do cenário musical Brazuka e internacional, pude divulgar o meu trabalho a um público diferente e estabelecer novas alianças com Artistas que muito respeitava e admirava. Além dos Rappers bariseleiros, pude conhecer pessoalmente artistas como Mos Def, Gilberto Gil, Caetano Veloso e outros... Na sequência das actividades participei dos álbuns dos SNJ e Sandra de Sá, participei do Show dos Racionais MCS numa cidade no interior de SP( são José dos Campos), participei de um Documentário produzido por Lázaro Ramos em Luanda, enfim...

Já Pegando o gancho.. creio que voce conheça o rap brasileiro.. pois em algumas letras suas do álbum Nutrição Espirual .. tem uma frase do Racionais MCS "A confiança é uma mulher Ingrata" alem do Racionais Mcs e Gabriel Pensador.. quem mais você gosta..?

R: Sou um grande admirador do Brown e dos Racionais, quando comecei a rimar em 1995, era meu desejo ser o Brown angolano ( risos), de um modo geral o rap brasileiro exerceu muita influência na minha escrita em particular, e de um modo geral na formação da minha personalidade como pessoa e como artista. Sempre acompanhei de forma apaixonada o movimento musical brasileiro pelas raízes históricas conhecidas e por acreditar que o "Sangue Africano" que corre em nossas veias é mais forte, que a água salgada do oceano Atlântico que nos separa, somos Gémeos cultural e socialmente, acompanho com igual atenção, carinho e respeito as diferentes gerações, e tendências do rap brasileiro; Gabriel o Pensador foi o primeiro artista brasileiro a chegar aos outros países de expressão portuguesa... Depois Racionais e o sempre actual MV Bill... Hoje ouvimos praticamente tudo, Kamau, Emicida, Projota, Facção Central, SNJ, Parteum, Sabotage e muitos outros...

Recentemente Saiu uma Noticia em um Site que Você esta para Lançar uma Linha de Camisinha.. isto Procede..? e qual seu Intuito em entrar neste Mercado..?


R: A ideia do Preservativo surge no âmbito da responsabilidade social que se exige as empresas e figuras públicas com alguma notoriedade ou não, o projecto não tem qualquer finalidade comercial e surge como resposta de uma urgente necessidade de se combater o elevado nível de contagio das DTS com particular destaque ao Sida, que encontra um terreno fértil no nosso continente pelas razões históricas conhecidas, como o elevado nível de analfabetismo, promiscuidade sexual, poligamia e outras motivações culturais. Enquanto Músico e Activista, penso ser um exercício de cidadania a preocupação pela vida, e a consequente inversão deste quadro fúnebre.





O que o rap Representa pra você..? e como ele te influencia no seu dia a dia..?

R: O rap ganhou em minha vida igual valor e importância, que outro órgão qualquer do meu corpo, tudo que sou hoje como pessoa, meus valores, minha educação, princípios, defeitos, virtudes, amigos, problemas, algum dinheiro ( risos), o Rap me deu até a Mulher... Hoje tenho uma vida disciplinada pelos valores doutrinários do movimento Hip Hop, sou norteado pelos princípios da Justiça, paz e liberdade... O rap influenciou a escolha das minhas duas licenciaturas, Filosofia e agora Direito. O rap me ensinou a amar mais a vida, a conhecer o amor, a valorizar as pessoas e estimulou a minha luta na defesa da dignidade humana.

O KuDuro é uma Cria Angolana Assim como o Funk carioca é uma Cria Brasileira, ambos os ritmos quando surgiram era uma variante do rap, e hoje ambos os ritmos tem seu espaço e são até parecidos no modo de dançar..
No Brasil existe uma certa Rivalidade Entre o Pessoal do Rap com o Pessoal do Funk.. e em Angola Existe Esta Rivalidade dos rappers com os Kuduristas..?
 

R: Rivalidade como tal, não! O Ku Duro é um estilo de música moderna, electronica e urbana de Angola e tem uma historia originária muito parecida ao Rap... Inicialmente marginalizada e hoje com dignidade presidencial ( risos), tal como Rap também é um estilo que reflecte muito o drama do ghetto, as gírias, o calão, as danças e todo resto de bom e ruim... Hoje por hoje, têm uma relação de tipo circular e de influências reciprocas com Rap, as Fronteiras são movediças e há um forte sentido migratório para um lado e para o outro... As primeiras rimas do Ku duro foram inseridas por ex praticantes do rap, e hoje assistimos um processo inverso, Rappers a cantarem Ku Duro em busca de sucesso e manutenção no mercado. Existe um aproveitamento comercial condenável num Rap fundido com Ku Duro, eu particularmente não gosto.
 

Na Musica "Teoria da Prosperidade" do seu Álbum de "Proibido Ouvir Isto" você ja falava destas Igreja que abusam da fé do povo pedindo dinheiro.. .. Recentemente chegou uma noticia no brasil que o governo angolano barrou muitas igrejas brasileiras.. por abusar da fé do povo Angolano. isto Procede..? e você concorda com este Embargo.?

R: De acordo com os padrões que orientam a Teologia da Prosperidade ate mesmo Jesus teria dificuldade em ser pastor de algumas igrejas, pois, esta corrente defende como sucesso religioso o número de fieis, a quantidade de templos, valor das ofertas e o sucesso financeiro. Estas igrejas obedecem os mesmos procedimentos, meios e ferramentas do mercado empresarial, fazem publicidade enganosa, batem-se em busca do lucro fácil e guerreiam a liderança como se de poder político ou de administração empresarial se tratasse... Como cristão e investigador bíblico não me parece ser este o propósito do ministério do Jesus que eu conheço. Embora não concordar com estas praticas religiosas, como estudante de Direito reconheço ter existido excessos nas medidas tomadas pelo nosso Governo em sede dos acontecimentos, pois, a luz da nossa legislação penal, tais acontecimentos teriam outro desfecho jurídico. Nunca podemos perder de vista que actos e comportamentos estamos a julgar, pois, as mortes que ocorreram também poderiam ter lugar numa partida de futebol, num show de Rap, ou num acto de massa do MPLA, em igualdade de circunstancias, qual seria a decisão? Fica a questão!

Não sei como é exatamente em Angola .. mas o rap aqui não bem aceito na tv, tanto pelos donos de tv quanto ao publico do rap, boa parte das pessoas que gostam de rap são contra o rap ir a grandes veículos de televisão.. por serem redes de tv que manipulam informação e terem programas "Banais" .. Qual sua visão sobre isto.. você também é contra o rap em programas de televisão ..?


R: Eu sou a favor do aproveitamento racional de todas oportunidades de divulgação das nossas mensagens de forma dura, nua e crua, em algumas partes do mundo a televisão vai perdendo alguma influencia comparando com a internet, mas aqui em África, esta realidade ainda está distante de acontecer, pelo atraso tecnológico e por via da força da oralidade. Portanto, penso ser importante utilizarmos a rádio e a TV, como grandes instrumentos de informação e formação de consciências através de programas educativos, músicas inteligentes e outras actividades cultas e produtivas. Digo não a TV se for para ser palhaço, mas rapidamente digo sim, quando é para passar uma ideia positiva e sem censura.



MCK - Nomes, Rimas e Palavras




Mano.. Você se Considera um Revolucionário que Canta Rap ou um Rapper Revolucionário..?


R: Apesar do termo não ter aplicação pratica na sua extensão, me considero um Revolucionário emprestado ao Rap... 


Uma Frase tua que me Marcou é na Intro do seu Álbum "Nutrição Espiritual" quando você fala que o Rap Angolano tem que ter a cara de Angola .. e você continua ..dizendo .. "Por que Imita o 50 cent, se onde Dormiste a Fome..?".. a Maioria das Vezes que eu Entrevisto algum rapper eu uso esta sua frase para saber se eles concordam.. Mas gostaria de sabe de você . Por que você acha alguns rapper tanto do brasil, moçambique e de angola.. tentam cantar sobre ostentação..  que nestes paises mais de 70 % do pais não é rico.


R: Penso que devemos ter um discurso honesto, autêntico e verdadeiro... O falso orgulho normalmente constrói " Tigres de Papel"... O Rap assemelha-se a uma substância em estado liquido, e deve obedecer o formato do recipiente onde é inserido. O Rap norte americano reflecte os sonhos, as dúvidas e as aspirações do povo americano, de igual modo, o nosso Rap também deve reflectir as nossas realidades... Se o Jay Z ou 50 Cent, rimar dizendo que tem Jato ou Iate estará a ser honesto e verdadeiro com seu discurso, mas se eu fizer o mesmo, estarei a mentir a mim mesmo e aos outros...

Você é um rapper bem engajado Politicamente falando..você é um Ativista.. um Revolucionário . Pretende algum dia Entra na Politica .. ? quem sabe Presidente..?


R: O exercício político normalmente é consequência da dinâmica que empreendemos em nossas vidas, ou seja, é daquelas profissões que mais facilmente absorve técnicos e profissionais das diversas áreas do saber, os grandes políticos não são feitos na Escola, os grandes políticos fazem-se na vida através da sua postura e determinação ao longo dos tempos, o bom político não é o que sabe mais, mas sim o faz melhor! Não tenho motivações imediatas de exercer a vida político partidária por enquanto mas nada me impede de faze-lo futuramente.

Digamos que foi eleito Para Presidente... Qual Seria seu Primeiro Ato..?


R: Engraçado ( risos)... Será que tenho perfil presidencial? A luz da Constituição vigente, este cenário seria difícil de ocorrer, embora não sendo impossível, a Lei Magna assassinou o sufrágio universal directo, retirando a figura do candidato independente; mas a ser verdade, constituiria um corpo executivo onde a integridade, o rigor e a competência pudessem ser a marca dos seus membros, reunindo assim pessoas com um elevado sentido patriótico, e com vontade de construir uma Angola melhor, sem olharmos para cores partidárias, grupos étnicos, e outras formas de discriminação que em nada contribuem para unidade nacional e justiça distributiva que ainda não existe entre nós.


MCK CADAVER ANDANTE




Seu ultimo trabalho foi o álbum "Proibido Ouvir Isto" pretende ainda Trabalhar mais este álbum . ? quem sabe um vídeo clipe.. ? ou tem outros projetos em mente.?
R: Toda obra discográfica no meu ponto de vista deve ser vista como um projecto de continuidade, pois, a arte verdadeira é sempre funcional e intemporal, e o álbum " Proibido Ouvir Isto" a principio não deverá fugir a regra na criação de vários sub-produtos, até agora, além do Cd, publicamos regularmente T Shirts, Pen Drives, Preservativo ( por publicar) e faremos a seguir a reedição da Pen Drive com a inserção de Quatro videos, dois dos quais já publicados, " Nomes, Rimas e Palavras e Cadáver Andante" respectivamente. A música com mensagem têm vida Eterna! É meu desejo leva-lo fisicamente aos outros Países de expressão portuguesa, pois, fi-lo apenas em Angola e Portugal... E finalmente produzir um grande Show em Luanda, clara está, se o meu governo permitir...

Para terminar a Entrevista deixe uma frase um pensamento para seus fãs e leitores do blog.

R: Tocar a música numa estação radiofônica é fácil, difícil é tocar na alma e no coração de quem nos ouve e acompanha o nosso trabalho. O artista não deve apenas marcar a sua época, o artista deve ficar na história e deixar as suas obras como um legado para gerações vindouras.



 Firmeza total!

Share this:

CONVERSATION

0 Comments:

Postar um comentário